29 abril 2011

Trailer da 2ª parte de Harry Potter and the Deathly Hallows



video



Anseio muito, muito por este final...mas quando surgirem os créditos finais, vai custar sem dúvida!
Cresci com a saga, li e reli os livros e, mesmo se nem todos os filmes acompanharam a qualidade da obra, foram sempre especiais! E daqui a meses, tudo termina...e, nostálgica, vou relembrar a emoção (e a sua parte de tristeza) de virar aquelas últimas páginas e ter de me despedir daquele universo e personagens que tão vívidos e familiares me eram!


16 abril 2011

The Kids Are Alright





Sometimes, I feel I gotta get away
Bells chime, I know I gotta get away
And I know if I don't, I'll go out of my mind
Better leave her behind with the kids, they're alright
The kids are alright

(The Kids Are Alright, The Who)



E no fim, os miúdos estão bem. Possivelmente…

Se há um aspecto a louvar em “The Kids Are Alright”, é a sua abordagem à homossexualidade. Ou a ausência de abordagem, melhor dizendo. Porque esta surge como uma realidade, como uma vivência que devia ser já algo universal. Não vemos apenas um casal lésbico, vemos uma família. Amada, feliz, com momentos tão harmoniosos quanto atribulados, ou não existissem dois filhos adolescentes em plena batalha com as convulsões do crescimento e identidade em fúria. E é nessa busca de identidade que tudo se precipita, a partir do momento em que o “dador de esperma/pai” surge. Levantam-se dúvidas, criam-se laços, conflitos mergulham tudo e todos num caos emocional.

Com um argumento bem construído, Lisa Cholodenko assina um filme agradável e seguro, onde Julianne Moore e Mark Ruffalo brilham e Mia Wasikowska prova ser mais que a “burtoniana” Alice. Não me entusiasmou verdadeiramente mas afirma-se como uma competente surpresa do passado ano.

09 abril 2011

The Original Crime Family




Gostei imenso do primeiro episódio!


Um genérico inicial belíssimo, uma bem sucedida conjugação/sobreposição entre quadros renascentistas e as próprias personagens....

Jeremy Irons, magnífico, timbre e postura dominantes...

Excelentemente acompanhado por um forte elenco secundário, onde destaco François Arnaud e Holliday Grainger....

Um ritmo mais lento, sim, mas necessário, com a história bem articulada e diálogos bem pungentes!



The Pope had the power to crown and un-crown kings.
To change the course of empires.

The Church was mired in corruption.



Corrupção, luxo, vício...um maculado trono papal!



E quem viu, o que achou sobre "The Borgias"?