30 junho 2010

Em Novembro...








Chega finalmente "Harry Potter and The Deathly Hallows"! (trailer)


A antecipação é imensa para esta fã extrema dos livros! E tendo em conta que este sétimo livro é, na minha opinião, o melhor da saga, espero sinceramente que tenha uma adaptação cinematográfica à sua medida!

De facto, a única adaptação que gostei verdadeiramente e achei ter captado genialmente o espírito dos livros foi "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", a cargo de Alfonso Cuáron e com o magistral Gary Oldman! Quanto aos outros, não é o caso de não ter gostado (os 2 primeiros, ainda era eu uma criança, encantaram-me com a sua magia!) mas não achei que fizessem justiça às suas origens! E que dizer do último filme, "Harry Potter e o Príncipe Misterioso" (já para não falar da tradução...) ? Terrível adaptação que me desiludiu bastante!


"Harry Potter and The Deathly Hallows" foi concebido em duas partes. A primeira estreia em Novembro. E depois...terei que esperar até Julho do próximo ano pelo final da aventura do meu adorado e corajoso feiticeiro de cicatriz em forma de relâmpago!



29 junho 2010

"Tornas-te eternamente responsável por aquilo que cativas."



Antoine de Saint-Exupéry nasceu hoje há 110 anos. Para a eternidade fica "O Principezinho", a sua deliciosa, filosófica e adorável obra que me encantou e marcou durante a infância e que é sempre maravilhoso recordar!






( "Só se vê bem com o coração.
O essencial é invisível para os olhos.")


28 junho 2010

Moulin Rouge


[Spoilers]





Truth - Beauty - Freedom – Love...
Above All Things This Story Is About Love



E que belo e inspirador hino ao amor é Moulin Rouge!

Sob as luzes e visões pecaminosas do inebriante Moulin Rouge, Christian, imberbe poeta inglês determinado a celebrar o amor na boémia Paris de viragem de século, vê Satine, a mais bela, a mais desejada, a inatingível cortesã desse Moinho que, ao ritmo do cancan, punha à roda as cabeças de todos os homens!




Coube ao acaso ou à sorte ou, quem sabe, ao destino, juntá-los no luxuoso quarto do Elefante: ele, já pura e irremediavelmente apaixonado, tenta convencê-la a apoiar a produção teatral, celebrante dos valores boémios, “Spectacular, Spectacular”; ela, smoldering temptress, confunde-o com o Duke, esse nobre apenas de título que ela julga poder torná-la uma estrela, uma verdadeira actriz, mas que aspira obsessivamente a possuir Satine, reclamando-a como dele e só dele! Christian declara-se apaixonadamente, cantando a “sua” poesia e Satine, rendida, confessa igualmente o seu amor! Surpreendidos pelo Duke, é por mentiras e malabarismos que, apoiados por Harold Zidler (director do Moulin) e pelos filhos boémios da Revolução, vão camuflar o seu amor no tal “Spectacular, Spectacular”, apoteose dos 4 grandes valores!




A magnificent, opulent, tremendous, stupendous, gargantuan,
bedazzlement, a sensual ravishment.
It will be: Spectacular Spectacular!




Moulin Rouge é revolucionário! Absolutamente! Moulin Rouge é um turbilhão extravagante de cor, música, cancan e paixão! Ao apropriar-se de toda uma cultura pop e música icónica, reinventa o género do musical, dando-lhe esplendor e vitalidade! Como não se deixar contagiar pela apresentação do Moulin, com cancan e Nirvana à mistura? Ou não ficar rendido à declaração de amor de Christian a Satine, num medley de silly mas arrebatadoras love songs, sob o céu da mágica Paris e a bênção de uma lua tenor?
Moulin Rouge é opulento, contagiante, exuberante! Numa primeira parte, tem um lado mais cómico e descomprometido, bem patente na personagem do Duke, insinuadoramente ridículo, fraco e “cego” ou ainda nos filhos da Revolução, encabeçados pelo peculiar Toulouse – Latrec! Mas essa exuberância, inicialmente animada, encontra-se depois com o drama, resultando em memoráveis e comoventes momentos: o poderoso “El Tango de Roxanne”, essa dança que pertence apenas a dois, é a perfeita representação da fragilidade do amor quando o ciúme e a obsessão comandam; dos míticos Queen, o sublime “The Show Must Go On”, belo e devastador, quebra-me o coração de todas as vezes!


The show must go on, Satine. We're creatures of the underworld.
We can't afford to love
.


É Baz Luhrmann que dirige, e que genial realização, mas são Nicole Kidman e Ewan McGregor que brilham! E como não? Kidman é fogo, mas também delicadeza, McGregor é dedicação e carisma; conjugando irrepreensíveis talentos vocais, criam um dos pares mais românticos, trágicos e inesquecíveis do Cinema! Que magníficas interpretações! Realço também a brilhante composição de Jim Broadbent, que no papel de Harold Zidler tem o seu momento alto no já referido “The Show Must Go On”! Para além disso, tudo é perfeito em Moulin Rouge: fotografia, guarda-roupa, coreografia, banda – sonora! E neste ponto, que dizer de “Come What May”, o hino dos amantes escondidos? Que requinte esplêndido e entusiasmante!





Never knew I could feel like this. Like I've never seen the sky before.
Want to vanish inside your kiss, every day I'm loving you more and more.
Listen to my heart, can you hear it sing? Come back to me-
and forgive everything.

Seasons may change, winter to spring...
I love you 'til the end of time.



Nunca me canso de rever Moulin Rouge! Julgo que nunca me cansarei!
Fogoso, vibrante e apaixonante, é certamente um dos filmes da minha vida! Revolucionário, mágico, soberbo, inscreve-se na história do Cinema como um supremo novo clássico!




The greatest thing you'll ever learn is just to love,
and be loved in return.


23 junho 2010

19 junho 2010

Memórias de Saramago


16 de Novembro de 1922 - 18 de Junho de 2010




“A finitude é o destino de tudo”

A minha primeira lembrança é a cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Literatura. Tinha dez anos.
“A Jangada de Pedra” navegou até às minhas mãos por conselho do meu professor de Língua Portuguesa do 5º e 6ºano. Estranhei, entranhou-se e gostei. Nunca tinha lido nada assim. Mas não percebi completamente e, de imediato, a sua magnitude.
Algum tempo se passou e os seus livros espreitavam por entre as prateleiras lá de casa. Um dia tirei “Todos os Nomes” e, mais uma vez, reagi com encanto e surpresa às suas palavras. A sua tão controversa e criticada “falta de pontuação” não me incomodou. Achei porventura peculiar, mas com toda a certeza desafiante.
A paragem seguinte foi Mafra, por entre as excentricidades e inconsciências de um rei, o elogio a um povo herói, o amor entre Sete-Sóis e Sete-Luas e um padre que queria voar, comandado pelo sonho! O “Memorial do Convento” foi uma viagem de deslumbramento, de aprendizagem, o consolidar de uma paixão que, latente, queria despertar! A riqueza da sua escrita, o simbolismo de cada expressão e frase, a acutilante (e infelizmente actual) crítica social, religiosa, de costumes, a sua reinvenção tão própria, sábia e reflectiva da História enfeitiçaram-me, pura e irremediavelmente! O amor livre, espontâneo e eterno de Blimunda e Baltasar, a irreverência e inconformismo do padre Bartolomeu Gusmão na construção utópica da Passarola são, para mim, um delicioso e refrescante porto a que sempre voltarei!
A curiosidade e expectativa apoderaram-se de mim quando comecei a ler “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”. Sim, surpreendeu-me; sim chocou-me, mas novamente pela prodigiosa, satírica, envolvente e séria desconstrução de um mito, de um dogma! Jesus Cristo surge humanizado: ama, sofre e também peca. O episódio de Deus, o Diabo e Jesus em conversa no mar, sob o nevoeiro, é memorável, através de uma autêntica análise sagaz e meditativa das intermitências e contradições da Religião e da Vida!
O “Ensaio sobre a Cegueira” foi choque, foi desconforto, contudo uma revelação e um prazer. Sempre presente, a crítica profunda à sociedade; sempre presente, a obrigação de reflectir, tal como em toda a sua obra! O filme “Blindness” foi uma belíssima e certeira adaptação, uma merecida e comovente homenagem!
Pelo meio, desabrochou “A Maior Flor do Mundo”, num delicado, comovente e ensinador livro infantil, mas não apenas para crianças!
Saramago deu mais do que recebeu, não que isso lhe fosse o mais importante. A mim deu-me muito, mais do que conseguirei descrever. De Saramago escritor, ficam os livros com que cresci, reflecti e vi para além das palavras, através da riqueza e simbolismo que marcavam a sua obra, de uma maneira tão simples como grandiosa e verdadeiramente admirável! De Saramago homem, fica-me a memória de um combatente da apatia, da injustiça, do inconformismo, da tirania, um comunista até ao fim, mas acima de tudo, um homem fiel às suas convicções e ideais!
Hoje, ofereço a minha homenagem. Triste, mas convicta de que o seu legado e a sua memória perdurarão, despeço-me do senhor da Azinhaga e de Lanzarote que um dia me ensinou, enriqueceu e maravilhou com o seu dom da palavra! E faço minhas as palavras de Fernando Meirelles: “A lucidez naquele grau é um privilégio de poucos, não consigo fugir do clichê, mas definitivamente o mundo ficou ainda mais burro e mais cego hoje.”


Saramago (1922-2010)



16 junho 2010

Bad Blood



Spoiler para a 3ª temporada de True Blood!!!




Grande estreia! Finalmente…após tantos meses de espera e desespero! :p

Não houve um grande desenvolvimento em termos de argumento, mas isso já seria de esperar, visto que o objectivo era introduzir não só a história principal como todas as outras que vão preencher esta terceira temporada!
Penso que isso foi bem conseguido, teve-se uma perspectiva geral de todas as personagens e sempre à base de muita ironia, bons diálogos, humor, sensualidade, crítica social e suspense, como True Blood já nos habituou!

Por último, deixo os meus pontos preferidos deste primeiro episódio:

  • Eric (Alexander Skarsgård) em todo o seu esplendor e mais não direi!
  • Pam (Kristin Bauer) fabulosa, mordaz, sexy, finalmente a ganhar mais protagonismo (o que se aproxima ao descrito nos livros)!
  • Jessica (Deborah Ann Woll), a vampira adolescente deixada à solta…




Espero ansiosamente o próximo episódio!

Do Bad Things!


13 junho 2010

True Blood: E a campanha promocional despede-se...




Sem dúvida o poster mais engraçado da campanha!





E mais uma ideia genial desta campanha: o que fariam se fossem uma adolescente vampira deixada à solta? Descubram em http://babyvamp-jessica.com


video




O gang está de regresso! ;)


07 junho 2010

Momentos (VIII)


Em todo o lado essa palavra
Repetida ao expoente da loucura!
Ora amarga! Ora doce!
Para nos lembrar que o amor é uma doença,
Quando nele julgamos ver a nossa cura!

Ouvi Dizer, Ornatos Violeta ( “O Monstro Precisa de Amigos”, 1999)


video


Christian:Days turned into weeks, weeks turned into months. And then, one not-so-very special day, I went to my typewriter, I sat down, and I wrote our story. A story about a time, a story about a place, a story about the people. But above all things, a story about love. A love that will live forever. The End.

Christian:The greatest thing you'll ever learn is just to love and be loved in return.


Estonteante

Romântico

Exuberante

Contagiante

Genial

Memorável

O amor

Moulin Rouge



06 junho 2010

Coelhinhos cinéfilos



30 segundos de muito humor,
parodiando tanto blockbusters como clássicos,
com bastante ironia e atrevimento!




http://www.angryalien.com/


P.S.: Já agora, conseguem identificar os filmes aqui representados? Estes são relativamente fáceis :p...

05 junho 2010

Momentos (VII)



Narrator:
No one would have believed in the early years of the 21st century that our world was being watched by intelligences greater than our own; that as men busied themselves about their various concerns, *they* observed and studied, the way a man with a microscope might scrutinize the creatures that swarm and multiply in a drop of water. With infinite complacency, men went to and from about the globe, confident of our empire over this world. Yet across the gulf of space, intellects vast and cool and unsympathetic regarded our planet with envious eyes and slowly, and surely, drew their plans against us.




Rachel Ferrier: Is it them? Is it them?

04 junho 2010

Os Vampiros ao Som de Gaga!

video


Perdoem-me a insistência...mas a dias da estreia sinto só excitação, pura excitação!

E o vídeo, com a música "Teeth" de Lady Gaga, mantém a provocação e sedução que têm caracterizado a campanha de promoção para a 3º temporada de True Blood!


"Waiting really sucks!"

Música no Coração (V)


Ladies and Gentlemen, "The Man in Black"!


video

Johnny Cash "I Walk the Line"


video

Johnny Cash "Ring of Fire"


O amor nas suas várias formas...


Tenho a confessar que foi após ter visto o filme "I Walk the Line" que me apaixonei pela música de Johnny Cash! Conhecia vagamente, mas foi este filme que me deu um grande impulso para explorar a sua música!


A sua voz de barítono, forte e envolvente...
A sua música...
A sua atitude...
As suas letras, sobre o amor, sobre a redenção...

Como ficar indiferente?


I fell in to a burning ring of fire...


03 junho 2010

E não nos deixeis cair em tentação...


True Blood: 2º trailer para a terceira temporada



video



Que dizer?

Apenas que a nova temporada se afigura como mais emocionante e misteriosa, mais violenta e perigosa, mais sensual e provocadora do que algum dia já vimos!

E nunca mais chega o 13 de Junho...

Últimos posters e minisodes de True Blood



E deixo aqui os 9º, 10º e 11º posters para a terceira temporada de True Blood, como sempre, imaginativos e curiosos!



Novamente, um astuto trocadilho!



Hmm...será o Sam, ou pelo menos, algo relacionado com a sua família?



A longa vida de Mr. Bill Compton...


Quantos aos minisodes, são mesmo os últimos até à estreia.

O 4º e 5º são divertidos até, cada um à sua maneira! Um Sam pós-Marianne e Bill antes do (importante) jantar com Sookie!

E no 6º, conhecemos uma nova faceta de Jason e, quem sabe, algo mais...

Tenho a confessar que o meu minisode preferido é definitivamente o primeiro, com os indescritivelmente deliciosos Eric e Pam!